A Baía de Guanabara e os Jogos Olímpicos

Descarte de Esgoto

28 de Abril de 2015

A Baía de Guanabara foi o local escolhido para receber as competições de vela da Rio-2016, porém o local sofre há anos com lixo e esgoto que são despejados diretamente nas águas.

Por conta dos jogos olímpicos, a baía chegou a receber investimentos bilionários para a sua despoluição, porém todas essas ações parecem não ter dado resultado, o que preocupa a organização dos jogos, já que estamos a cerca de 500 dias das olímpiadas. A ineficiência da despoluição não é novidade para quem a acompanha como velejadores, engenheiros e ambientalistas, que vem chamando a atenção para os erros cometidos durante a despoluição.

Uma das estratégias utilizadas são os chamados ecobarcos. Dez embarcações foram adaptadas para recolher resíduos flutuantes das águas e estão em circulação desde o final do ano passado. 

 

guanabara-1389302100759_615x300

 

A parte ruim é que, de acordo com ambientalistas, essas embarcações fazem apenas “cócegas” na sujeira. Em 380 quilômetros quadrados de extensão da Baía de Guanabara, colocar apenas 10 barcos para realizar esse trabalho é quase como não fazer nada.

A SEA (Secretaria Estadual do Ambiente) já reconheceu essa ineficiência, tanto é que suspendeu a circulação dos ecobarcos. O órgão informou, porém, que as embarcações devem voltar a circular em breve. Contudo, só navegarão novamente quando um sistema de monitoramento eletrônico do lixo da baía for implantado para orientar o trabalho dos barcos.

Outra iniciativa que também foi colocada em prática são as ecobarreiras implantadas para evitar que o lixo fique flutuando. Os equipamentos são colocados na foz de rios que desaguam na Guanabara para impedir que os resíduos desaguem no local. Porém, segundo especialistas, essas redes são frágeis e se rompem por qualquer chuva intensa que atinge o Rio de Janeiro. 

 

14mai2014---lixo-se-acumula-a-margem-da-baia-de-guanabara-no-rio-de-janeiro-1402407728403_615x300

 

Além desse fator, as barreiras também necessitam de uma limpeza periódica, já que o lixo não pode ficar lá permanentemente. Acontece que, na Baía de Guanabara, essa limpeza não era feita, o que a torna ainda mais ineficiente.

A SEA também reconheceu a ineficiência dessas ecobarreiras. Das 22 instaladas, só 13 permanecem retendo lixo hoje (três em rios que desembocam nas lagoas da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá). Nelas, ainda não há recolhimento dos resíduos.

Qual é a causa da poluição da Baía de Guanabara?

O grande vilão da poluição da Baía de Guanabara é a falta de saneamento básico. Cerca de 8,5 milhões de pessoas vivem em torno de Baía, e mais de metade moram em casas que não possuem rede de esgoto. Todo o dejeto é jogado sem tratamento nas águas.

O governo do Rio reconhece o problema. Por isso, planejou construir pelo menos sete UTRs (Unidades de Tratamento de Rios) no entorno da baía de Guanabara pensando na Olimpíada. Porém, desde que o Rio de Janeiro foi escolhido para sediar a Olímpiada, em 2009, apenas uma das UTRs planejadas foi construída, a do Rio Irajá.

A SEA também já desistiu oficialmente da UTRs. O governo avaliou que não era eficiente investir num sistema que não resolve o problema da coleta de esgoto na Região Metropolitana do Rio definitivamente.

fonte: www.uol.com.br

CTA_facebook

COMENTÁRIOS

Resultado da busca