A Importância do Saneamento Básico para o Desenvolvimento Econômico

SANEAMENTO-1.jpg

Saneamento é o nome dado às medidas que visam preservar ou modificar condições do meio ambiente, com o objetivo de prevenir doenças, e assim, promover a saúde. Ou seja, é o controle de todos os fatores do meio físico do homem que exercem ou podem exercer efeitos nocivos sobre o bem estar físico, mental e social. 

Condições básicas de saúde são fundamentais para a boa produtividade das pessoas, um trabalhador saudável é mais produtivo e capacitado a ter um rendimento melhor.

Segundo dados do Instituto Trata Brasil, em apenas um ano foram gastos R$ 547 milhões por empresas em remunerações referentes a horas não-trabalhadas de funcionários que tiveram que se ausentar por motivos de saúde. O estudo ainda aponta que a probabilidade de uma pessoa com acesso à rede de esgoto se afastar das atividades por qualquer motivo é 6,5% menor do que uma pessoa sem acesso. O acesso universal traria uma redução de gastos de R$ 309 milhões nos afastamentos de trabalhadores.

 

 Os inúmeros benefícios do Saneamento Básico para a Economia

Quando um trabalhador tem acesso à coleta de esgoto, é esperado que essa melhora na qualidade de vida aumente sua produtividade em 13,3%, possibilitando o crescimento da renda na mesma proporção. Além disso, o acesso ao saneamento pode trazer uma valorização média de até 18% no valor dos imóveis.

Outro fator que poderia ser notado caso houvesse acesso universal ao saneamento seria a redução no número de internações e taxas de mortalidade. Estudos do Trata Brasil mostram que cerca de 1.227 vidas poderiam ser salvas.

Leia também nosso artigo sobre Os Benefícios do Saneamento Básico e As principais doenças advindas da falta de saneamento básico.

Os números do Saneamento Básico no Brasil

Segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), os indicadores de universalização são bem mais favoráveis quando apenas a população urbana é considerada. Nas cidades é observado que o país caminha bem nos serviços de abastecimento de água, com atendimento de 94,7% da população. Porém, quando o assunto é coleta de esgoto o quadro ainda é precário mesmo na área urbana, apenas 50,6%, metade da população, é atendida. Além disso, apenas 34,6% do volume de esgoto coletado é tratado.

É importante ressaltar que houve avanços em relação ao saneamento no Brasil, desde o ano de 2003 a parcela da população atendida pela rede de água passou de 73% para 77%. Em termos absolutos a população antes não atendida registrou queda, passando de 48,2 milhões para 42,8 milhões, ou seja, 5,4 milhões de pessoas foram incluídas no sistema de abastecimento de água nesse período.

O acesso a rede de esgoto também aumentou no mesmo período, de 34% para quase 40% da população, o que levou o número de pessoas que não tinha acesso a rede cair de e 116,5 milhões de habitantes para 114,2 milhões. O volume de esgoto tratado também teve aumento, em 2003, apenas 58% era tratado, percentual que subiu para 66% em 2008.

CTA_facebook

Tags: saneamento básico, importância saneamento, benefícios, desenvolvimento econômico