Como saber se a prestadora de serviços ambientais é séria?

ISO ambiental

19 de Março de 2012

As atividades de sua empresa impactam no meio ambiente e você já decidiu que a melhor opção é terceirizar o tratamento de efluentes e resíduos. O processo de terceirização pressupõe que empresa contratada vai empregar a melhor tecnologia a custos atrativos. Contudo, terceirizar não significa que o trabalho será feito sem preocupações da sua parte. Se a escolha não for bem feita, a terceirização pode vir a ser uma dor de cabeça, com aumento de riscos a sua cadeia produtiva. Mas como escolher a prestadora de serviços ambientais?

Há uma série de exigências da CETESB (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) e do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), que a terceirizada precisa cumprir. O controle dos resíduos começa dentro do gerador e vai até o descarte dos resíduos. O gerador precisa ter acesso a essas informações a qualquer momento, por meio de um sistema de rastreabilidade, que deve mostrar todas as etapas do processo.

O cliente ainda tem de estar ciente dos subprodutos gerados após a prestação do serviço e sua destinação. Também é de grande importância verificar as condições das instalações e a capacidade produtiva da prestadora de serviços ambientais.

Aqui na Opersan, por exemplo, através do programa de monitoramento estabelecido junto a CETESB, são analisados todos os parâmetros de interesse dos efluentes recebidos na estação antes e após o tratamento. Mensalmente são enviados relatórios a CETESB mostrando que os resíduos tratados estão de acordo com as exigências das licenças ambientais. Além disso, o cliente tem acesso 24h ao histórico de todos os descartes pela internet.

Outro requisito importante a ser avaliado é o monitoramento da água, do ar e do solo. Na Opersan semestralmente é realizado o monitoramento dos poços piezométricos e do poço profundo, garantido a qualidade do lençol freático.

Não se esqueça de checar todas as licenças ambientais, o alvará do Corpo de Bombeiros e da prefeitura local e se a terceirizada não tem TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) junto aos órgãos ambientais.

Uma segurança adicional é trabalhar com empresas que possuem certificação ISO 14001 e acreditação na ISO 17025.

Por último, peça referências no mercado. Outras empresas poderão indicar com confiança quem presta serviços de qualidade.



imagem: oc.org.br

COMENTÁRIOS

Resultado da busca