Resíduo Industrial: Para onde é destinado e como é tratado

Resíduos Industriais Classificação de Resíduos Resíduo Industrial Tratamento OffSite

24 de Abril de 2012

O primeiro passo para estruturar um plano de gestão de resíduos adequado é fazer a classificação dos resíduos industriais gerados por uma determinada atividade. A partir disso, podem ser definidas as etapas de manipulação, armazenagem, coleta, transporte, e destinação final, de acordo com cada tipo de resíduo industrial gerado.

Em alguns casos, os resíduos industriais requerem algum tipo de pré-tratamento antes do seu encaminhamento. Desde os mais simples, como por exemplo, as latas de alumínio geralmente são prensadas, para redução de volume, antes de seguirem para reciclagem. Já nos casos de resíduos perigosos, como as águas ácidas, são necessários ajustes de pH antes do envio para sua destinação final.

A destinação escolhida dependerá de cada tipo de resíduo industrial. Deverá ser realizada uma análise de custo/benefício dentro de todas as possibilidades viáveis.

Deve-se levar em conta as seguintes variáveis para definição da destinação correta de resíduos:

  • Tipo de resíduo, classificação e quantidade;

  • Métodos e técnicas ambientalmente viáveis de tratamento ou disposição;

  • Disponibilidade, resultados de longo prazo e custos dos métodos de tratamento ou disposição.

Neste post fizemos um resumo com alguns métodos de tratamento de resíduos industriais e disposição final e enfatizamos quais nós utilizamos aqui na Opersan.

 

PROCESSOS TÉRMICOS: Várias técnicas de tratamento são baseadas na aplicação de calor aos resíduos, como:

  • Incineração: Utiliza a combustão controlada para degradar termicamente materiais residuais, como embalagens, sacarias, bombonas, latas e borras oleosas.
  • Co-processamento: É nossa opção para destinação de resíduos, como borras oleosas, lodos e materiais sólidos contaminados, já que se tornam combustível alternativo ou substituto de materia-prima nos processos de fabricação de cimento.
  • Pirólise: É a decomposição química do resíduo orgânico por calor na ausência de oxigênio.
  • Plasma: Gás ionizado por meio de temperaturas superiores a 3000 ºC, tornando-se uma forma especial de material gasoso que conduz eletricidade.

PROCESSOS FÍSICOS: São normalmente empregados como pré-tratamento.

  • Centrifugação: Processo mecânico de separação de mistura de substâncias de densidades diferentes, pela ação da força centrífuga.
  • Separação Gravitacional: Técnica de separação que explora as diferenças de densidade entre as fases.
  • Redução de Partículas: Método constituído por processos mecânicos formados por sistemas sequenciais de peneiras e moinhos, montados para reduzir o tamanho do resíduo.

Nós da Opersan procuramos fazer o reuso e a reciclagem de tudo que pode ser reaproveitado, por isso alguns resíduos, como bombonas e tambores, em vez de serem incinerados, são enviados para a descontaminação e reutilização em empresas licenciadas. Já os óleos residuais são armazenados e enviados para empresas devidamente licenciadas para realizar o re-refino e o reaproveitamento destes resíduos. Por último, resíduos orgânicos viram adubo por meio da Compostagem.

No final de cada mês nós ainda emitimos o Certificado de Destinação de Resíduos (CDR) Opersan e mantemos um programa de monitoramento junto à Cetesb.

 

 

Imagem: maesso.wordpress.com

COMENTÁRIOS

Resultado da busca