Criação da Nova Opersan é notícia em duas publicações

Tratamento físico químico ISO 14001 Destinação Correta de Efluentes Tratamento de Resíduos Industriais Resíduos Industriais Efluentes Industriais Tratamento de Efluentes Resíduos Perigosos Classificação de Resíduos Resíduo Industrial ETE Industrial Estação de Tratamento Industrial Separação de Resíduos Lixo Industrial Gestão de Resíduos Operação e Manutenção

8 de Fevereiro de 2013

A Nova Opersan foi notícia na Revista Hydro e no site Saneamento Básico. As reportagens enfatizam a associação entre as empresas Enasa, Opersan e P2 Brasil e a aquisição das empresas Brasquip Ambiental e GT Ambiental que formam a Nova Opersan.

Entre os serviços apresentados, destaque para o tratamento de efluentes perigosos e as estações de tratamento nas modalidades BOT – Build Operate and Transfer – e BOO – Build Own and Operate.

O presidente da Nova Opersan, Sérgio Werneck Filho, disse: “Nosso diferencial é que fechamos o ciclo: projetamos, construímos, operamos e mantemos o ativo até a sua transferência. O cliente não tem nenhum trabalho e paga de acordo com o volume que tratamos ou por um valor limite pré-estabelecido em contrato”.

Como o foco da Nova Opersan são os clientes corporativos, com indústrias e grandes centros comerciais, as estações voltadas para reúso industrial é um dos carros-chefe. “Nossos contratos têm duração entre 10 e 15 anos, ou seja, o cliente pode esperar plantas confiáveis e duradouras”, afirmou o diretor de engenharia, Antônio Carlos Taranto.

A Nova Opersan nasceu em junho de 2012, com cerca de 130 funcionários, com sede em São Paulo e filiais em Jundiaí, Jandira, Itapira e Mariana (MG).

Para ler as reportagens completas acesse a edição de Dezembro de 2012 da Revista Hydro ou o site Saneamento Básico.

COMENTÁRIOS

Resultado da busca