O que fazer com os resíduos líquidos da construção civil? 21 de Agosto de 2013

A construção civil é um setor produtivo que gera grandes impactos ambientais, tanto pela geração de resíduos, quanto pelo consumo de recursos naturais e, obviamente, pela modificação da paisagem urbana. O foco do artigo de hoje é a geração de resíduos líquidos na construção civil, que é um assunto difícil de ser abordado.

Tintas, óleos, solventes e substâncias preservativas para madeiras como o creosoto, possuem substâncias nocivas que contaminam o solo, a água e o ar. As sobras desses materiais devem ser acumuladas e destinadas para empresas que fazem a destinação final e correta destes resíduos. Para óleos e graxas devem ser previstas caixas de separação e acumulação nos canteiros de obras, além de procedimentos de remoção adequados.

Outros tipos de efluentes líquidos gerados nas obras, como efluentes sanitários, efluentes domésticos, efluentes industriais das instalações de manutenção, das instalações industriais e dos pátios de estocagem, devem ser coletados em redes implantadas separadamente para os efluentes domésticos e sanitários e outra para os industriais.

A NBR 7229 da ABNT estabelece que o tratamento dos efluentes domésticos devem ser feitos com fossas sépticas e/ou filtros, não sendo permitido o uso de valas a céu aberto ou de caixas sem tampas adequadas. A norma também estabelece que os efluentes domésticos dos refeitórios passem previamente por caixa retentora de gordura, antes de serem levados a tratamento em fossa séptica ou filtro anaeróbio.

Já as águas de lavagem de veículos e peças, as águas de drenagem dos pátios de estocagem de materiais e derivados de petróleo, como os óleos lubrificantes utilizados, deverão passar por caixa de areia (caixa sedimentadora) e caixa retentora de óleos. O efluente da caixa de retenção de óleos deverá passar por filtro de areia, por gravidade, antes de sua remoção para a disposição final. Já os resíduos oleosos retidos na caixa separadora deverão ser removidos e armazenados em tanque apropriado para posterior reciclagem em indústrias especializadas. A armazenagem desses resíduos deverá ser feita em local com piso impermeável e dotado de sistema retentor de óleo para evitar os riscos de contaminação de águas e solos nas áreas próximas.

O descarte de resíduos e a disposição final dos efluentes precisam ser aprovados pela fiscalização local e devem obedecer as normas do órgão ambiental, concessionária local e restrições ambientais da área de destino.

 

Imagem: geracaosustentavel.com.br

COMENTÁRIOS

Resultado da busca