Economia de água está entre diretrizes do saneamento de nova lei

Reúso de Água Industrial Tratamento de Efluentes

2 de Outubro de 2013

Com objetivo de incentivar a economia de água, a nova Lei 12.862 alterou recentemente a Lei 11.445/2007, que estabeleceu diretrizes nacionais de saneamento básico. Alguns artigos importantes foram alterados. A mudança no artigo 2º faz com que a “adoção de medidas de fomento à moderação de consumo de água” passe a fazer parte dos princípios fundamentais dos serviços públicos de saneamento no Brasil. 

Conforme publicado no artigo 48, a política federal de saneamento deverá estimular “o desenvolvimento e aperfeiçoamento de equipamentos e métodos economizadores” na área. Outro item fundamental que foi alterado, agora no artigo 49, é que essa política passou a ter dois novos objetivos: incentivar a adoção de equipamentos sanitários que contribuam para a redução do consumo e promover educação ambiental voltada para a economia de água pelos usuários. 

Sancionada pela presidente Dilma Rousseff em 17 de setembro, a lei deve trazer novo impulso às ações e campanhas que visam reduzir o desperdício e estimular a economia de água. É uma forma das companhias de saneamento básico desenvolverem seus programas de combate, controle e redução de perdas hídricas e também das empresas fazerem investimentos na área.

Uma das nossas sugestões é investir no reúso de água, conforme já mostramos nos artigos Conheça os vários tipos de reúso de água e Reuso de água: Iniciativa que preserva o meio ambiente e gera economia. Outra forma de economizar e evitar o desperdício é manter em dia a manutenção do sistema hidráulico para evitar vazamentos. Invista em acessórios que gastam menos água que os aparelhos comuns, para reduzir o consumo.

A otimização de processos também é uma maneira eficiente para economia de água, visto que a maioria das etapas industriais faz uso desse precioso líquido. Por último, é necessária a construção de uma estação de tratamento de efluentes própria e, se isso não for possível, a contratação de uma empresa especializada para fazer o tratamento off-site. Se quiser saber mais sobre o assunto, leia o artigo Como fazer o descarte correto dos resíduos classe I e II?, que mostra como a Nova Opersan constrói e opera a estação de tratamento para o cliente ou recolhe os resíduos no local.

No artigo Água Industrial - O Uso Eficiente da Água na Indústria nós mostramos que a AmBev já conseguiu ter economia ao investir no que a lei agora exige. O que você está esperando para fazer o mesmo na sua empresa?

 

Clique aqui para tirar suas dúvidas

COMENTÁRIOS

Resultado da busca