Principais doenças advindas da falta de saneamento básico

Reúso de água Como Preservar o Meio Ambiente Descarte de Esgoto

17 de Julho de 2014

Especialistas em saúde e saneamento básico presentes no 4º Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública, realizado em 2013 pela Funasa - Fundação Nacional de Saúde, tornaram pública aquela que viria a ser umas das principais diretrizes sobre o assunto: para cada R$1 gasto com tratamento de esgoto e efluentes, são economizados R$4 em saúde pública. A estimativa traz à tona o quanto o saneamento melhora o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), reforçando que o direito básico não deve ser considerada um custo, e sim um investimento.

Nesse quadro, a demanda que se faz necessária não é apenas cumprir um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (metas socioeconômicas traçadas pela ONU a serem atingidas até 2015), de reduzir pela metade o número de pessoas sem rede de esgoto em todo o mundo, mas também eliminar ou diminuir os índices de doenças causadas pela falta de saneamento básico. Saiba quais são as principais doenças causadas pela falta de tratamento de efluentes e de acesso à água potável:   

Verminoses e contaminação

Grande parte das doenças que surgem em ambientes sem saneamento básico é causada pela existência de verminoses e água ou alimentos contaminados por esses parasitas. A maioria delas causa diarreia, dores abdominais, febre e desidratação aguda. Doenças que são facilmente controláveis em regiões saneadas, chegam a matar em lugares onde o tratamento de esgoto é negligenciado. Cabe notar que as crianças são as vítimas mais expostas a esse tipo de problema.

Dentre as doenças mais frequentes onde há precariedade da destinação do esgoto, estão as Febres Tifoide e Paratifoide. Ambas são semelhantes em sintomas e forma de contaminação, tratando-se de infecções bacterianas que causam febre, mal-estar, manchas rosadas pelo corpo e diarreia. A diferença é que a Febre Tifoide pode causar o comprometimento de tecidos linfoides, e por isso é considerada mais grave.

Outra infecção bacteriana muito comum em áreas não saneadas é a Shingeloses. Responsável por náuseas, vômitos e dor na bexiga e na região anal, provoca um quadro de fezes com sangue, muco e pus em casos agravados. A contaminação de água e dos alimentos também pode causar a hepatite tipo A, uma doença que gera falta de apetite e uma série de sérios problemas gastroinstestinais. Quanto mais velha for a pessoa, maior a intensidade dos sintomas. Este mal, no entanto, é curável e não apresenta sequelas posteriores.

Casos mais graves

A cólera está entre as doenças mais graves causadas pela falta de saneamento. Com sintomas semelhantes aos das demais enfermidades, o indivíduo com cólera (se não receber um rápido tratamento) corre o risco de ter um colapso respiratório, o que pode levar à morte em um período de quatro à 48 horas.

Outra doença que chama atenção nessas condições, principalmente em períodos de chuva, é a leptospirose. Conhecida como o mal transmitido pela urina do rato, ela pode se apresentar com sintomas semelhantes a uma gripe - pode também evoluir, porém, para complicações hepáticas e renais graves.

Por fim, vale a pena destacar que, além de provocar enfermidades que podem matar, a falta de saneamento básico também compromete o meio ambiente, impactando diretamente na qualidade da água. Agora que você já sabe quais são as principais doenças causadas pela falta de tratamento de esgoto, compartilhe essa informação com seus amigos nas redes sociais e faça a sua parte pela cobrança de políticas eficazes de saneamento básico nos municípios do Brasil!


COMENTÁRIOS

Resultado da busca