Conheça as Condições que Devem ser Consideradas para a Captação da Água

Danos Ambientais Escassez de água Descarte de Esgoto

21 de Outubro de 2014

A seca no estado de São Paulo chegou a um nível tão crítico que alternativas estão sendo estudadas a toque de caixa para suprir as necessidades dos moradores e das empresas nas mais diversas tarefas do dia a dia. Apesar da grande abundância em nosso planeta, apenas 5% da água doce encontra-se disponível superficialmente. Isso significa que fazer um projeto de captação de água envolve muito planejamento e certas condições para sua implementação.

Para tornar a tarefa ainda mais complexa, existem situações onde não existe viabilidade econômica para a extração da água, como, por exemplo, nas minas localizadas em grandes profundidades e aquelas confinadas entre formações rochosas. Condições como o escoamento, variação do nível da água e a estabilidade do local de captação acabam sendo determinantes em um projeto de captação.

Conheça abaixo alguns fatores determinantes que devemos pensar antes e durante a implementação de um projeto de captação de água!

Quantidade de água

Ter muita água disponível não é o suficiente, já que outras situações precisam ser levadas em consideração. É preciso saber, por exemplo, se existe vazão suficiente nos períodos de estiagem. Também é preciso pensar na média geral de vazão ao longo do ano. Por fim, pode ser que exista vazão, mas inferior ao consumo previsto no seu planejamento.

De todas as situações apresentadas, a primeira é a ideal, pois a vazão contínua permite a captação direta da correnteza. A segunda precisa de um equilíbrio entre o período de seca e o excesso de vazão, quando a água deve ser armazenada para cobrir o deficit na estiagem. O Nordeste brasileiro utiliza muito esse sistema, pois na região é comum o esvaziamento das águas no período de seca dos rios. A terceira situação é crítica, pois depende de outros mananciais para dar conta do abastecimento complementar.

Qualidade

Apesar de partir do princípio de que toda água precisa ser tratada, há diferentes níveis de poluição, seja pela contaminação da própria natureza (algas, por exemplo) ou pela ação do homem. É preciso fazer um estudo para garantir a qualidade da água captada.

Garantia de funcionamento

O funcionamento também deve ser observado de modo que não haja interrupções na captação. A entrada de sucção deve estar sempre submersa e dimensionada de acordo com a velocidade de deslocamento da água. A obstrução por peixes e outros corpos estranhos é comum e precisa ser evitada.

Economia das instalações

É preciso que a empresa responsável pela implementação do projeto dê garantias de seu funcionamento a um prazo razoável. Além disso, existem técnicas e materiais que otimizam a captação e tornam o processo mais barato a longo prazo. Exigir o melhor para seu projeto pode representar um investimento imediato maior, mas com um custo-benefício muito superior a médio e longo prazo.

Localização

Esse é um fator importante por conta da agressividade que uma correnteza pode apresentar. Por isso, trechos retos são os ideais, já que há menor possibilidade de assoreamentos, principalmente de areia e matéria orgânica em suspensão. Nas barragens, o indicado é que a captação seja feita o mais próximo possível da maciço de barramento. Já nos lagos, em posições intermediárias entre as desembocaduras afluentes e o local de extravasão do lago.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco através de nossos canais de comunicação! E continue de olho nas novidades do blog!


COMENTÁRIOS

Resultado da busca