Rios Contaminados por Metais Pesados são um Grande Risco à Natureza e ao Homem

Como Preservar o Meio Ambiente Plano de Gestão de Resíduos Análise de Água Qualidade da água Lixo Industrial

23 de Outubro de 2014

A equação é simples: quanto maior a população, maior será o número de indústrias necessárias para atender às demandas de consumo e, consequentemente, maior será também o número de resíduos gerados.

Considerando que grande parte das indústrias estão localizadas próximas a rios ou mares, devido à facilidade no escoamento de produtos e utilização de energia hidrelétrica, podemos começar a entender a delicada relação entre atividades industriais e água, afinal, são os resíduos industriais lançados nos cursos fluviais os principais responsáveis pela contaminação desta com metais pesados.

Os metais pesados são todos aqueles que possuem número atômico maior que 22. Eles se caracterizam por serem altamente reativos, ligando-se facilmente a outros elementos e dificilmente sendo encontrados sozinhos na natureza. Quando entram em contato com a água através do despejo feito por indústrias metalúrgicas, têxtis, produtoras de plástico pvc, entre outras, estes metais são absorvidos com facilidade pelos tecidos dos organismos vivos existentes naquele habitat, como plantas e peixes, além de depositarem-se nas rochas, formando minerais.

Assim, toda a fauna e flora do ecossistema ficam contaminadas com o acúmulo de metais pesados e sofrem os danos causados por eles, como poluição e morte das especies existentes.

Somado a isso existe também o agravante do alto risco de contaminação a que o ser humano também se expõe, tanto pelas populações que vivem próximas às indústrias e utilizam a água dos rios para sua sobrevivência diária, quanto pela ingestão de alimentos provenientes de rios ou mares contaminados com metais pesados. Isso porque, devido à sua alta reatividade, eles podem se acumular em todos os organismos que fazem parte da nossa cadeia alimentar.

Um dos casos mais famosos de contaminação por metais pesados ocorreu em Minamata, no Japão. Em meados de 1950, peixes começaram a aparecer repentinamente mortos no mar, seguidos por milhares de pessoas que passaram a apresentar problemas no sistema nervoso. Somente dez anos depois descobriram que as águas haviam sido contaminadas com mercúrio, intoxicando os cardumes e, posteriormente, as pessoas que deles se alimentaram.

Os trabalhadores das indústrias que geram resíduos com metais pesados também estão constantemente expostos aos perigos do excesso deles no organismo, podendo sofrer não só problemas físicos como distúrbios psíquicos e comportamentais, apresentando quadros de depressão, alucinações e cefaléia.

Os riscos ambientais e de saúde provocados pela contaminação de rios com metais pesados são inúmeros e graves, podendo causar verdadeiros desastres ecológicos.

A Portaria 2914 do Ministério da Saúde criou normas para controle e vigilância da água potável, visando assegurar que haja um valor máximo de metais pesados na água utilizada para consumo e garantindo a qualidade desta.

Cabe salientar que os metais não são apenas benéficos como essenciais à manutenção da vida humana, visto que não poderíamos viver sem substâncias como ferro, cálcio ou zinco no nosso dia-a-dia. O problema passa a existir quando determinados tipos de metais são absorvidos em excesso e, muito além da fiscalização governamental, é necessário que haja - sobretudo por parte das indústrias-, conscientização e programas de descarte de resíduos ambientalmente responsáveis. Afinal, é de água que os seres humanos e o planeta Terra são feitos e, se queremos preservar a vida, temos o dever de preservar sua essência.

Gostou desse artigo? Tem alguma sugestão ou comentário? Entre em contato conosco através dos nossos canais de comunicação!


COMENTÁRIOS

Resultado da busca