Como realizar o descarte correto de resíduos Classe I e Classe II?

0301.jpg

As empresas podem optar por ter uma estação de tratamento própria ou buscar um parceiro. Há diversas técnicas que removem os poluentes dos efluentes industriais antes do descarte ou da reutilização.

Leia nosso artigo sobre Resíduos Classe I ou Resíduos Classe II: Qual é a diferença?

 

 Tratamento de Efluentes Offsite

Os efluentes são recolhidos nos clientes e transportados por caminhões até nossas centrais de tratamento Offsite (CTOs) localizadas em Jundiaí, Jandira, Indaiatuba, Rio de Janeiro, Blumenau ou Camaçari. Lá passam pelo tratamento físico-químico que remove óleos e graxas emulsionados, despejos com cromo hexavalente e despejos com metais pesados, além dos despejos com cianetos, fluoretos, sulfatos e sulfetos. Entre os métodos de tratamento usados estão: a precipitação química, a quebra ácida, a oxidação e a redução. Em nossos laboratórios realizamos os testes de tratabilidade, a fim de garantir a maior eficiência no tratamento dos efluentes com um baixo custo para os clientes.

Saiba mais sobre o tratamento de resíduos Offsite clicando aqui.


Tratamento de efluentes Onsite

A Nova Opersan também oferece o tratamento de efluentes Onsite, que são soluções para tratamento de águas e efluentes nas empresas. Com cinco modelos diferentes de negócios, a Nova Opersan projeta, constrói e opera estações, podendo ainda adquirir e operar estações já existentes.

Saiba mais sobre as modalidades Onsite clicando aqui

O que devo saber antes de descartar o resíduo?


Há algumas variáveis que definem o tipo de destinação que o resíduo deve ter. Você deve considerar:

  • Tipo de resíduo, classificação e quantidade;
  • Métodos e técnicas ambientalmente viáveis de tratamento ou disposição final;
  • Disponibilidade e custos dos métodos de tratamento ou disposição;

Certificar-se que o parceiro para tratamento é confiável e está dando a destinação correta para o efluente. Com a responsabilidade compartilhada, a empresa receptora dos resíduos líquidos e o gerador precisam comprovar a destinação adequada dos efluentes. Há diversas empresas e consultorias que prestam esse tipo de serviço no mercado, mas não possuem recursos para o tratamento e, dependendo da qualidade do serviço, ainda podem gerar um passivo escondido. Por isso todo cuidado é pouco na hora de escolher a prestadora de serviços ambientais: é preciso ter certeza de como é realizado o processo de tratamento.

Leia nosso artigo sobre Os riscos de terceirizar serviços para empresas pouco qualificadas

CTA_facebook

Tags: Descarte Correto, como realizar o descarte correto, Classe I, Classe II