Tratamento de Efluentes por Termocompressão a Vácuo

Tratamento de Efluentes Termocompressão à vácuo

27 de Abril de 2016

A evaporação é a operação unitária que tem por objetivo a concentração de uma solução, pela remoção do solvente, fazendo a solução entrar em ebulição.

A termocompressão a vácuo consiste em um sistema de tratamento de efluentes baseado na evaporação sob pressão negativa (vácuo), condição que favorece o processo, visto que reduz o ponto de ebulição da solução. À medida que o solvente, normalmente a água, é separado na forma de vapor, ocorre a concentração dos contaminantes contidos no efluente.

 Neste processo, um compressor é responsável por remover o ar e o vapor do meio, ocorrendo a liberação de calor, devido ao aumento de pressão da corrente gasosa ocorre aumento de temperatura. A corrente gasosa fornece calor ao efluente a ser concentrado no evaporador. Após a transferência de calor, o vapor se condensa e deixa o sistema na forma líquida durante todo o processamento. O efluente em tratamento (evaporando) permanece no equipamento até o final do ciclo de concentração, quando o concentrado gerado é descartado em um tanque para posterior destinação final.

 No processo de termocompressão a vácuo o calor é necessário para:

  • Aumentar a temperatura inicial da mistura até sua temperatura de ebulição.
  • Fornecer a energia termodinâmica mínima para separar o solvente, normalmente água, do efluente em tratamento.
  • Concentrar os contaminantes dos efluentes que normalmente são destinados para coprocessamento.

Os equipamentos utilizados nas unidades da Nova Opersan utilizam tecnologia alemã, projetados para otimizar o aproveitamento energético de suas correntes, consequentemente, com menor consumo de energia elétrica, além do elevado grau de automação, que possibilita a operação automática e o acesso remoto aos parâmetros de processo.

O processo de termocompressão a vácuo proporciona grande eficiência de remoção de metais pesados, sulfato, sulfeto, óleos e graxas, DBO e DQO, etc, quando comparado ao processo físico químico convencional. A redução de custos de tratamento quando comparado ao processo físico químico, pode chegar a 70%, dependendo do tipo de efluente processado, em especial àqueles com presença de agentes complexantes.  

As Centrais de Tratamento de Efluentes Offsite (CTO’s) da Nova Opersan dotadas da tecnologia de termocompressão a vácuo estão situadas em Jandira-SP, Indaiatuba-SP e Camaçari-BA. Nesta modalidade de negócio, os efluentes são coletados nos clientes e destinados para tratamento nas CTO’s, adaptadas para receber, estocar e tratar efluentes líquidos, provenientes de diversos setores, entre eles de indústrias químicas, siderúrgicas, automotivas, têxteis, gráficas, entres outras.

 As CTO’s realizam o reuso de parte dos efluentes tratados na termcompressão a vácuo para a preparação de soluções de insumos químicos utilizados no tratamento físico químico e para a lavagem e purgas de tubulações e tanques, minimizando o consumo de água potável da rede pública.

Conheça mais sobre as Centrais de Tratamento Offsite da Nova Opersan que utilizam o processo de termocompressão à vácuo:

A CTO de Jandira tem certificações ISO 14001 e ISO 9001 e foi pioneira no Brasil, no tratamento de efluentes por termocompressão a vácuo. A CTO de Jandira conta também com o processo Físico Químico.

foto0001.jpg

Contando com os processos Físico Químico e de Termocompressão a vácuo, a CTO de Indaiatuba iniciou suas atividades em 2014.

INDAIATUBA-1.jpg

A CTO de Camaçari BA iniciou suas atividades em 2015 e vem aplicando as boas práticas desenvolvidas por suas antecessoras, atendendo com qualidade aos clientes da região.CAMAARI.jpg

 

CTA_facebook

COMENTÁRIOS

Resultado da busca