Notícias

ESG estimulará tratamento de efluentes em 2022, acredita empresa do setor

Máquinas e Equipamentos

"Com a pressão pela adoção de pautas ligadas a ESG – sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança – pela necessidade de investimentos capazes de mitigar os desafios causados pela crise hídrica, e com o apoio da cadeia industrial impulsionada pelo Marco do Saneamento, o ano de 2022 tende a trazer bons ventos para o setor. A previsão do Grupo Opersan é de atingir 10% de crescimento real, em relação a 2021." 

CONFIRA

Dia mundial da água: Data comemorativa chega aos 30 anos com necessidade de adaptação aos conceitos novos e soluções para problemas antigos

Revista Meio Ambiente Industrial

"Segundo dados do Grupo Opersan, está previsto que o ESG vai aquece o setor de gestão de água e efluentes em R$ 120 milhões este ano. A empresa, que atua no setor de reúso, dessalinização e tratamento de águas e efluentes no País, prevê esse volume por meio de projetos impulsionados pela crise hídrica e pela agenda ambiental que ganha força entre as indústrias." 

CONFIRA

Entrevista para a CBN Maringá com Diogo Taranto

CBN Maringá

O reúso é uma modalidade que necessita de mais incentivos. Há muitos efluentes que poderiam ser reutilizados nos processos industriais para recursos menos nobres, porém não são usados deste modo. O Brasil tem acesso a todas as tecnologias disponíveis para esse tratamento e, para a crise hídrica, o reúso é a solução!”, diz Diogo Taranto." 

CONFIRA

No dia Internacional da Água, a constatação de que o Brasil não a trata com o devido respeito

Portal Folha de Londrina

"Além do descarte irregular de efluentes e da imensa falta de estrutura de saneamento no país, temos, ironicamente, o problema do desperdício. Em média, no Brasil, quase 40% da água que é captada e tratada é perdida, escorre pelos ralos. A quantidade seria suficiente para garantir o abastecimento a mais de 63 milhões de pessoas em um ano." 

CONFIRA

Com água de reúso, Opersan quer crescer 10% e faturar R$ 120 mi em 2022

Exame

"Muitas indústrias ainda descartam efluentes de forma irregular. Contudo, a realidade imposta pela legislação e pressão social têm gerado repercussão positiva. Já vivemos um clima favorável para que o empresariado brasileiro abrace a gestão da água com a responsabilidade que a lei e boas práticas exigem”, diz Diogo Taranto.

CONFIRA

Não há dados sobre o descarte irregular de esgotos e efluentes industriais no Brasil

Portal Jornal do Brasil

O cenário de emissões de efluentes no País é turvo. Não temos um atlas completo, no âmbito privado, sobre o quanto empresas, indústrias, condomínios e centros comerciais descartam todos os dias, de forma irregular, milhões de litros dos mais diversos tipos de líquidos que causam impacto...

CONFIRA

O reúso de água no setor automotivo

Portal Tratamento de Água

Dentre os mais diversos setores industriais, o automotivo merece ser analisado com profundidade. Esse setor está entre os que apresentam cases relevantes e impressionantes pelo reúso de água em suas operações.

CONFIRA

Rádio EBC entrevista Diogo Taranto sobre crise hídrica e reúso de água

Rádio EBC

Em entrevista, Diogo Taranto, engenheiro especializado em tratamento de águas e efluentes explica que o reúso é um dos meios para que se tenha a sustentabilidade e a preservação dos recursos hídricos além de servir na crise hídrica como um meio de economia de água.

CONFIRA

Empresas da região de Itapetininga criam estratégias para evitar desperdício de água

TV GLOBO - TV TEM

Enquanto algumas cidades realizam racionamento e têm problemas com a falta de água, algumas empresas da região de Itapetininga (SP) criaram estratégias para não desperdiçar esse bem tão precioso. Um levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria apontou que nove em cada dez empresários estão preocupados com a crise hídrica.

CONFIRA